sábado, 24 de outubro de 2009

A Fraternidade È Vermelha

No cotidiano da vida, as sociedades reconhecem entre seus membros aqueles em situação de maior risco a agravos. Dentre todos, os mais expostos, e que requerem por consequência atenção e proteção das autoridades são as mulheres, os idosos e as crianças. Tal necessidade confirma-se dolorosamente por ocasião dos conflitos armados.
Nessas ocasiões, quando por regra humanidade é produto de rara oferta, em meio a desagregação do Estado, não poucas vezes frágil e titubeante na condução de políticas públicas em tempos de paz, o consolo chega às populações pela obra humanitária da Cruz Vermelha Internacional. Aqui, uma prova desse trabalho de proteção .

2 comentários:

Bia disse...

Bom dia, Itajaí:

admirável o trabalho da Cruz Vermelha e da turma que compõe o Médicos sem fronteiras

A fraternidade - não sei bem de que cor ela é - felizmente ainda não foi extinta.

Abração.

Itajaí de Albuquerque disse...

Boa tarde, Bia.
Você tem razão. A fraternidade tem a cor da esperança.
Abs.